terça-feira, outubro 20

a água fervendo
chaleira tremendo
vem a promessa
cratera rachando

o ovo no ponto

9 comentários:

renatinha disse...

Cara Vanessa,
como é poético o cotidiano nos seus olhos! Belos olhos!

vanessacamposrocha disse...

cara renatinha,

suas palavras são: leite condensado, caramelizados, coberto com deliciosos flocos crocantes!

beijos

Luanne Araujo disse...

nada mais despreparado que um ovo cru.
nada mais pleno do que um ovo no ponto!

vanessacamposrocha disse...

linda interpretação Luanne!

beijos

doca disse...

até
café

Perivaldo Graça disse...

nossa, esse poema me deu fome. ele, e os comentários de cima, são muito aromáticos.

bjo

vanessacamposrocha disse...

Nada como se alimentar das palavras, Perivaldo!

Perivaldo Graça disse...

quanto a se alimentar de palavras, leia o primeiro postei no meu blog, chama-se "sobre traças e palavras". acho que vc vai gostar.

vanessacamposrocha disse...

perivaldo, adorei!
fiquei imaginando que delícia seria o sabor da palavra descoberta!