quarta-feira, setembro 16

ui! um empurrãozinho nas costas já é o sufuciente para o passarinho querer voar.
Mas já é hora?
Ele abre as asinhas vermelhas, coloridas, que recortam o azul pacífico do céu e com seus olhos, duas pitangas negras, pede coragem aos mais velhos.
o mundo é tão largo, ele pensa. E salta!
E lá embaixo alguém diz:
" Como ele sabe que pode voar?"

3 comentários:

doca disse...

voar, voar,
subir, subir,

Luanne C. Araujo disse...

e às vezes não saber que não sabe é que o tira dele um vôo estupendo. há quem diga que é sorte de principiante. eu acho que é o impulso desconhecido. e a arte do improviso puro, voar.

Anônimo disse...

Muito lindo o seu passarinho...