sexta-feira, maio 1

A onda, seca e cega da vida, lavou a alma dela com decisão e habilidade. Foram varridos para fora do corpo: fracassos enraigados, sorrisos apertados, nó de passado e também outras coisas sem nome. Ficaram as idéias ajustadas, as marés altas e as nove possibilidades de se ser quem quiser. Era tudo o que ela precisava.

2 comentários:

doca disse...

subiu a escada e desceu o escorregador,
sorrindo.

Soraya disse...

Todos precisamos de uma onda as vezes....